A teoria da formação do sistema solar – parte 4 —

Não se esqueça de ler a parte 1 (teoria geral, mercúrio e Vénus), parte 2 (terra e Lua) e parte 3 (Marte, Júpiter e luas Galileia) sobre a evolução do sistema solar antes de ler o que vai seguir! Agora, sobre Saturno e Urano!

O planeta Saturno

 

Comparação de tamanho entre a Terra e Saturno.

Saturno possui os famosos anéis, este é o planeta que as pessoas memorizam mais quando eles pensam em astronomia e planetas. Recebemos algumas fotos muito bonitas de Saturno agora que temos o orbitador Cassini orbitando em torno dele. E aqui estão algumas fotos da estrutura de Saturno.

 

Saturno é definitivamente um planeta incomum, primeiro pela sua beleza, sua cor e sua consistência, sua atmosfera sendo composta de hidrogénio a 97%, o restante sendo hélio. O que a torna muito hipnótica. Então, a cereja em cima do bolo, Saturno tem anéis incrivelmente sofisticados. Os anéis de Saturno parecem ser um e o mesmo objeto, mas na verdade existem atualmente milhões de anéis. Um pouco mais de detalhes sobre os anéis de Saturno, como os identificar.

Sexto planeta a partir do Sol e o segundo maior do Sistema Solar atrás de Júpiter. Pertencente ao grupo dos gigantes gasosos, possui cerca de 95 massas terrestres e orbita a uma distância média de 9,5 unidades astronómicas.

Possui um pequeno núcleo rochoso, circundado por uma espessa camada de hidrogénio metálico e hélio. A sua atmosfera, também composta principalmente de hidrogénio, apresenta faixas com fortes ventos, cuja energia provém tanto do calor recebido do Sol quanto da energia irradiada de seu centro. Entretanto, estas bandas possuem aspecto pouco proeminente, com coloração que varia do castanho ao amarelado, devido à espessa névoa que envolve o planeta, além das camadas de nuvens. Sazonalmente surgem grandes sistemas de tempestades, além de vórtices permanentes existentes nos polos.

Os anéis de Saturno

Saturno é composto de vários anéis pertencentes a diferentes categorias, começando com o anel D e terminando com o anel E, que em inglês pronuncia E anel (Earring = brinco, eu achei agradável em inglês).

Os anéis são apenas espessos de algumas centenas de metros e consistem em rochas e partículas de gelo, e embora eles pareçam ser um único anel visto da terra, o anel é realmente composto de milhões de partículas que têm a sua própria órbita.

Satélites naturais de Saturno

Também encontramos luas que são muito pequenas em órbita em torno de Saturno. E cada uma delas tem seus próprios nomes, e você pode aprender sobre a origem dos nomes das luas e planetas do nosso sistema solar, é fascinante.

Nome Diâmetro (km) Massa (kg) Semieixo maior
(km)
Período Orbital Posição Descoberto
em
Saturno I Mimas 397 3,80×1019 185.520 0,942422 dias   1789
Saturno II Encélado 499 7,30×1019 238.020 1,370218 dias Na espessura do anel E 1789
Saturno III Tetis 1.060 6,22×1020 294.660 1,887802 dias   1684
Saturno IV Dione 1.118 1,05×1021 377.400 2,736915 dias   1684
Saturno V Rhea 1.528 2,49×1021 527.040 4,5175 dias   1672
Saturno VI Titán 5.151 1,35×1023 1.221.850 15,94542 dias   1655
Saturno VII Hiperión 286 (410 × 260 × 220) 1,77×1019 1,481,100 21,27661 dias   1848
Saturno VIII Iapeto 1.460 1.88×1021 3.561.300 79,33018 dias   1671
Saturno IX Febe 220 4,00×1018 12.944.300 -548,2 dias** Grupo Escandinavo 1899
Saturno X Xano 178 (196 × 192 × 150) 2,01×1018 151.472 0,6945 dias Coorbitais 1966
Saturno XI Epimeteo 115 (144 × 108 × 98) 5,60×1017 151.422 0,6942 dias 1980
Saturno XII Helena 33 (36 × 32 × 30) ~0,02446 377.400 2,736915 dias Troiano traseiro de Dione 1980
Saturno XIII Telesto 29 (34 × 28 × 36) ~0,010 294.660 1,887802 dias Troiano dianteiro de Tethys 1980
Saturno XIV Calipso 26 (34 × 22 × 22) ~0,0065 294.660 1,887802 dias Troiano traseiro de Tethys 1980
Saturno XV Atlas 30 (40 × 20) 0,0066 ± 0,0006 137.670 0,6019 dias Pastor exterior ó anel A 1980
Saturno XVI Prometeo 86,2 ± 5,4 (133×79×61) 0,1566 ± 0,0020 139.350 0,6130 dias Pastor interior ó anel F 1980
Saturno XVII Pandora 80,6 ± 4,4 (103×80×64) 0,1356 ± 0,0023 141.700 0,6285 dias Pastor exterior ó anel F 1980
Saturno XVIII Pan 28,4 ± 2,6 (35×32×21) 0,00495 ± 0,00075 133.583 0,575 dias Na divisao Encke 1990
Saturno XIX Ymir ≈ 18 ~0,00397 23.096.000 -1312,4 dias** Grupo Escandinavo 2000
Saturno XX Paaliaq 22 ~0,00725 15.199.000 +687 dias Grupo Inuit 2000
Saturno XXI Tarvos 15 Desconhecido 18.247.000 +926 dias Grupo Galo 2000
Saturno XXII Ijiraq 12 ~0,00118 11.442.000 451,5 dias Grupo Inuit 2000
Saturno XXIII Suttungr 7 ~0,00023 19.463.000 -1016,3 dias** Grupo Escandinavo 2000
Saturno XXIV Kiviuq 16 ~0,00279 11 110 000 449,2 dias Grupo Inuit 2000
Saturno XXV Mundilfari 7 ~0,00023 18 690 000 −953 dias** Grupo Escandinavo 2000
Saturno XXVI Albiorix 32 ~0,0223 16 180 000 783,5 dias Grupo Galo 2000
Saturno XXVII Skathi 8 ~0,00035 15.647.000 -728,9 dias** Grupo Escandinavo 2000
Saturno XXVIII Erriapus 10 ~0,00068 17 340 000 871,9 dias Grupo Galo 2000
Saturno XXIX Siarnaq 40 ~0,0435 17 530 000 896 dias Grupo Inuit 2000
Saturno XXX Thrymr 7 ~0,00023 20 470 000 −1 094 dias** Grupo Escandinavo 2003
Saturno XXXI Narvi ≈ 7 ~0,00023 19 010 000 −1 004 dias** Grupo Escandinavo 2000
Saturno XXXII Methone 3,2 ± 1,2 ~0,00002 194 440 1,01 dias Grupo das Alcionedas 2004
Saturno XXXIII Pallene 4,4 ± 0,6 (5×4×4) ~0,00006 212 280 1,14 dias Grupo das Alcionedas 2004
Saturno XXXIV Polideuco/Pollux 2,6 ± 0,8 (3×2×2) ~0,00001 377 200 2,74 dias** Ponto de Lagrange depois de Dione 2004
Saturno XXXV Daphnis 7,8 ± 1,6 (9×8×6) 0,000084 ± 0,000012 136 500 0,594 dias Brecha de Keeler 2005
Saturno XXXVI Æegir ≈ 6 ~0,00015 20 740 000 −1 117 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XXXVII Bebhionn ≈ 6 ~0,00015 17 120 000 835 dias Grupo Galo 2004
Saturno XXXVIII Bergelmir ≈ 6 ~0,00015 19 340 000 −1006 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XXXIX Bestla ≈ 7 ~0,00023 20 130 000 −1 084 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XL Farbauti ≈ 5 ~0,00009 20 390 000 −1 086 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XLI Fenrir ≈ 4 ~0,00005 22 450 000 −1 260 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XLII Fornjot ≈ 6 ~0,00015 25 110 000 −1 491 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XLIII Hati ≈ 6 ~0,00015 19 860 000 −1 039 dias** Grupo Escandinavo 2004
Saturno XLIV Hyrrokkin ≈ 8 ~0,00035 18 440 000 −932 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno XLV Kari ≈ 7 ~0,00023 22 120 000 −1 234 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno XLVI Loge ≈ 6 ~0,00015 23 070 000 −1 313 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno XLVII Skoll ≈ 6 ~0,00015 17 670 000 −878 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno XLVIII Surtur ≈ 6 ~0,00015 22 710 000 −1 298 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno XLIX Anthe ≈ 2 ~0,000005 197 700 1,04 dias Grupo das Alcionedas 2007
Saturno L Jarnsaxa ≈ 6 ~0,00015 18 810 000 −965 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno LI Greip ≈ 6 ~0,00015 18 210 000 −921 dias** Grupo Escandinavo 2006
Saturno LII Tarqeq ≈ 7 ~0,00023 18 010 000 888 dias Grupo Inuit 2007
Saturno LIII Aegaeon ≈ 0,5 ~0,0000001 167 500 0,8081 dias No anel G 2008
S/2007 S 2* ≈ 6 ~0,00015 16 730 000 −808 dias** Grupo Escandinavo 2008
S/2009 S 1* ≈ 0,3 < 0,0000001 ≈ 117 000 0,4715 dias Divisao de Cassini 2009
S/2006 S 1* ≈ 6 ~0,00015 18 980 000 −1015 dias** Grupo Escandinavo 2006
S/2007 S 3* ≈ 5 ~0,00009 18 980 000 −978 dias** Grupo Escandinavo 2007
S/2004 S 13* ≈ 6 ~0,00015 18 400 000 −933 dias** Grupo Escandinavo 2004
S/2004 S 17* ≈ 4 ~0,00005 19 450 000 −986 dias** Grupo Escandinavo 2004
S/2004 S 12* ≈ 5 ~0,00009 19 890 000 −1 046 dias** Grupo Escandinavo 2004
S/2004 S 7* ≈ 6 ~0,00015 21 000 000 −1 140 dias** Grupo Escandinavo 2004
S/2006 S 3* ≈ 6 ~0,00015 22 100 000 −1 227 dias** Grupo Escandinavo 2006

Problema

Os anéis de Saturno são relativamente jovens. Ao dizer jovem quero dizer que os anéis não tem bilhões de anos de idade.

Que nos diz a evolução do sistema solar (teoria geral) sobre os anéis de Saturno?

Observados de perto por voyager em 1980, eles não tem mais do que algumas centenas de metros de espessura. A sonda Cassini, em órbita em torno de Saturno desde julho de 2004, permite que os cientistas sigam sua evolução dinâmica. Mas sua origem permanece até agora mal compreendida.

Um cientista da NASA, Jeff Cuzzi, conta-nos

Depois de todo esse tempo, ainda não conseguimos saber a origem dos anéis de Saturno.

Os astrónomos pensavam que os anéis tinham sidoformados quando Saturno se formou a 4.800.000.000 anos atrás, quando o sol se resfriava. Mas, recentemente, Cuzzi nos diz.

Há um reconhecimento cada vez mais evidente de que, de facto, os anéis de Saturno não podem ser tão velhos.

Vejamos porquê:

-Os anéis são cintilantes e brilhantes, mas varrem a poeira do espaço, como Saturno orbita em torno do sol. Depois de vários milhões de anos eles deviam ser escurecidos.
– As luas fora dos anéis e os materiais dos anéis trocam momentos angulares (um que abranda e um que acelera). Eventualmente, as luas serão rejeitadas de Saturno, enquanto a outra metade externa dos anéis cairão em em direção ao planeta…
– Mas nós “sabemos” que Saturno é velho.
-Então de onde vêm os anéis?

Então de onde vêm os anéis de Saturno? Eu acho que você já adivinhou!

Aqui esta a solução para os problemas dos anéis de Saturno.

Como habitualmente o nosso herói salva mais uma vez a situação!

Os anéis são explicados:
– Cuzzi especula que a várias centenas de milhões de anos atrás, a partir do momento em que os primeiros dinossauros vaguearam no nosso planeta, Saturno não tinha anéis brilhantes. depois disse: “algo improvável aconteceu:” um objeto do tamanho da lua da zona externa do sistema solar pode ter flutuado perto de Saturno e teria sido destruído pela força da maré (tidal force, em inglês). Ou um asteroide caiu numa lua existente de Saturno e formou os anéis que vemos hoje. Etc…

Agora aqui está outro “problema” ou “quebra-cabeça” nos anéis de Saturno. Vê aqueles raios de luz? Ou dizemos manchas? (veja fotos abaixo),

Clique na foto para ampliar

Por que e que os anéis têm manchas/raios?

E alguns anéis formam tranças?!

Alguns anéis de Saturno são formados como tranças. Ninguém previu isso. Eu quero dizer… Imagine, os anéis fazem tranças. Realmente estranho, muito estranho, de facto…

A lua Encélado (Enceladus) de Saturno

Encélado é uma linda lua pequena! A peculiaridade de Encélado é que ele tem geiseres ativos no Pólo Sul veja o que esses geiseres podem fazer.

Jatos de matéria acima do polo sul de Encélado
Brilhante e gelada pluma ejetada a mais de dezenas de milhares de quilómetros de Encélado para o anel E, realimentando-o com novas partículas.

A lua parece uma bexiga de água. Como um balão enche-se com água, e quando você o aperta, a água sai. É a imagem que deve guardar de Encélado.

A lua é muito velha para estar geologicamente ativa,… Estamos falando de 4.800.000.000 anos? E também olhando para as fotos acima, você vê como Encélado interage com os anéis de Saturno, criando distorções por causa dos geiseres, e água pulverizada no espaço criando pequenas partículas de água que vêm perturbar os anéis de Saturno.

Mas o problema é que Encélado é muito velha para ser capaz de fazer uma coisa dessas. Hum…. Talvez ela não seja assim tão velha?

A lua Mimas

A reação lógica depois de ver Encélado é dizer que as próximas luas próximas devem ser mais ou menos idênticas a esta, mas não e o caso. A próxima Lua Mimas, que é muitas vezes evocada como a estrela da morte de StarWars (por causa de sua gigantesca cratera causada por um asteroide). Mimas não tem atividade geológica, e é do mesmo tamanho que Encélado. Mimas também é desprovida de núcleo.

Titã

Titã poderia ser um planeta de pleno direito, mas é uma lua de Saturno. Lua muito bonita, é um pouco de uma miniatura de Saturno em si sem anéis (na minha opinião! Não são os cientistas que dizem isso)

Depois há Titã, outra lua de Saturno. E como você pode ver, por causa do borrão da imagem, Titã tem uma atmosfera. A atmosfera de Titã foi composta principalmente de metano, e quando o orbitador Cassini se aproximou dele, os cientistas finalmente tiveram a oportunidade de estudá-lo para descobrir se nossas teorias sobre sua atmosfera eram verdadeiras. O problema de ter uma atmosfera de metano se você tem vários bilhões de anos de idade, é que o metano quebra quando ele é exposto ao sol. Assim, a atmosfera de Titã não pode existir por muito tempo, porque ela é quebrada muito rapidamente.

Assim, a ideia era que Titã apreende o metano em torno dele, a fim de reencher a sua atmosfera novamente. Titã é o maior satélite natural de Saturno e o segundo maior de todo o Sistema Solar, atrás apenas de Ganímedes de Júpiter. É o único satélite que possui uma atmosfera densa e o único objeto estelar além da Terra onde já foram encontradas evidências concretas da existência de corpos líquidos estáveis na superfície. Ele foi descoberto em 1655 pelo astrónomo Christiaan Huygens, o primeiro satélite natural de Saturno descoberto e o sexto do Sistema Solar.

O problema é que quando fomos lá, e afundamos as nuvens descobrimos que não há nada como isso. Os evolucionistas pensaram que iriam encontrar oceanos de metano na superfície — mas eles não estão lá!

Esta atmosfera não deveria ser composta de metano após 4.800.000.000 anos.

 

Jano e Epimeteu as luas que dançam

As luas dançantes! Que é a cereja no bolo… 2 das luas de Saturno dançam. O que quero dizer, “dança”? Estas duas partes de rocha você olha a órbita muito perto de se. São separados somente por 20, 0 quilómetros. Janus é maior do que Epiméthée, mas o que eu quero dizer é, uma dessas luas é mais perto de Saturno do que o outro, e eles trocam papéis! Aquele que estava perto de Saturno remonta enquanto o que estava distante se aproximando, então eles orbitam assim por um tempo e eles trocam novamente. Luas que dançam. Incrivel.

Animação da órbita de Epimeteu em  roxo e Jano em verde referência de rotação a volta de Saturno em beige.
Imagem de Jano obtida pela sonda Cassini em 20 de fevereiro de 2008

Concretamente Epimeteu e Jano são co-orbitais: o raio orbital de Jano para Saturno é a(c)tualmente somente cerca de 50 km menor que o de Epimeteu. Visto que órbitas internas possuem altas velocidades, as duas luas inevitavelmente aproximam-se uma da outra, e visto que o diâmetro médio de Epimeteu é de 115 km e o de Jano é de 178 km, pareceria à primeira vista que uma colisão se tornaria inevitável. Mas, quando a lua interna alcança a lua externa, a atração gravitacional incrementa o momento da lua interior e aumenta sua órbita, enquanto a lua externa

Epimeteu

igualmente perde momento e cai para uma órbita inferior. As luas assim barganham e começam a se mover separadamente de novo, visto que a lua avançada está agora na órbita mais baixa e mais rápida. O mais perto que ambas se aproximam está em torno de 10.000 km. A troca ocorre cerca de uma vez a cada quatro anos, tendo a última abordagem ocorrido em 21 de janeiro de 2006.

O que não nos dizem sobre Saturno

-Os anéis são jovens. Encelade é jovem. Titã é jovem.
-Luas dançando, e tranças nos anéis de Saturno.
– E o Criador não é apenas dotado, mas aprecia a beleza.

O planeta Urano

Urano em 2005. Anéis, colar sul e nuvens brilhantes no hemisfério norte são visíveis (imagem da Advanced Camera for Surveys do Hubble).

Urano, é definitivamente o meu planeta preferido. E você vai entender por que… Urano foi descoberto em 13 de março de 1781 por William Herschel. É invisível a olho nu, e você precisa de um telescópio para ser capaz de observá-lo. Ele foi visitado apenas uma vez pela Voyager 2, e é um planeta azul!

O problema é que eu gostaria de ter uma imagem melhor, a fim de mostrar-lhe Urano, mas nós não a temos. Este é um dos planetas dos quais temos poucas fotos e informações… Mas Urano é uma bola turquesa azul verde, muito bonita. Enviamos o engenho espacial Voyager 2 para tirar algumas medidas e tivemos algumas surpresas!

Imagem no infravermelho próximo feita pelo Telescópio Hubble em 1998 mostrando as faixas de nuvens, anéis planetários e satélites naturais.

Lembra-se que todos os outros planetas orbitam a volta do sol e rodam sobre si mesmos como se estivessem em um prato, bem Urano orbita lateralmente, inclinado, ele rola ao redor do sol como uma bola. Então você certamente entendeu que Urano não corresponde à teoria da evolução do sistema solar (ver: parte 1, que nos diz que, os planetas foram formados a partir de uma nuvem de gás e de poeiras cósmicas da mesma maneira). O problema e que Urano tem uma inclinação do eixo de 97,86 °, que representa um grande problema para a evolução, quem quer adivinhar que é a solução?

O Herói, sim senhor mais uma vez

A evolução do sistema solar diz que Urano se formou como todos os outros planetas no sistema solar, e um dia um asteroide chegou perto de Urano e caiu sobre ele. … Você não acha que algo está errado aqui?… Ou sou só eu? Aqui está uma comparação entre a terra e Urano (no tamanho).

Oh? Realmente? Um asteroide?
– “Os modelos de desenvolvimento do sistema solar não podem reproduzir tal orientação sem invocar uma colisão com outro objeto”. Ok há um grande problema, como pode um asteroide ter sucesso em inclinar Urano tão violentamente? Mesmo que seja do tamanho da lua ou da terra, Urano é muito grande, olhe para a imagem acima que compara o tamanho entre Urano e terra.
– A órbita de Urano é um das mais circulares de todos os planetas (apenas Vénus, terra e Neptuno têm órbitas bem circulares)
– A órbita de Urano não tem o mesmo plano eclítico que qualquer outro planeta, exceto a terra.

As luas de Urano

Em azul, representa a órbita atual das luas de Urano, após a colisão
Em vermelho, representa a órbita das luas antes da colisão
em amarelo, representa uma órbita caótica.

(Podemos ver as luas de Urano Orbiter no formato. MPEG, no Hubble Site. Link direto: Urano 3,90 MB (baixa qualidade), Urano 18, 5 MB (alta qualidade))

Então, como podemos mudar do plano orbital vermelho para o plano orbital azul? Porque não é possível, obviamente. Então a pergunta certa, as luas formam-se depois ou antes da colisão? Se elas se formaram depois… Por que têm um plano orbital em torno do Equador (em azul) e não uma espécie de órbita caótica (em amarelo), como resultado da explosão de matéria de Urano quando o asteroide impactou, porque é daí que as luas de Urano vêm. As luas vêm de Urano e formaram-se com os restos ejetados durante a colisão, tudo de acordo com a teoria da evolução em Urano com base na teoria da formação do sistema solar.

Por que as luas de Urano estão lá? Problema

– As luas de Urano estão em órbita normal ao redor do Equador, quase no mesmo ângulo que a eclíptica.
-As luas devem ter se formado após a colisão… Todas as luas combinadas representam apenas 0,1% da massa de Urano durante a colisão (a lua representa 1,2% da massa da terra durante a colisão que supostamente ejetou a matéria terrestre para o espaço para criar a lua).

Tecnicamente, as luas não deviam estar lá fazendo o que fazem…

Outros problemas:

O campo magnético de Urano conforme observado pela Voyager 2 em 1986.

Por que não há nenhuma radiação de energia? Todos os outros planetas gasosos irradiam. Júpiter, Saturno e Neptuno exalam mais energia no espaço do que recebem do sol, então por que não Urano? Se estes planetas se formaram ao mesmo tempo, com os mesmos materiais, no mesmo lugar com o mesmo processo, por que Urano não está fazendo as mesmas coisas que seus vizinhos?

– “Para o espanto mais completo dos cientistas, o eixo magnético de Urano está inclinado a 60 graus em relação ao eixo de rotação. Não sabemos porquê. ” Isto significa que o eixo magnético de Urano não está alinhado com o eixo de rotação.

– O eixo magnético também é contrabalançado desde o centro do planeta. Este puzzle de campo magnético em Urano é um quebra-cabeça para os evolucionistas.

A lua Miranda

Miranda

Urano tem várias luas, uma das quais é Miranda, que você vê ao lado direito. Este é um dos meus objetos favoritos do nosso sistema solar e você vai entender por que e espero convencê-lo também!

Miranda é um objeto muito pequeno, apenas entre 466 e 480 km de diâmetro. Mas olhe para todos os diferentes tipos de terreno que podem ser encontrados nele, Então, olhando para Miranda. Há terrenos lisos, sulcados, ondulantes, há igualmente umas fendas e uns canyons gigantescos, profundos de mais de 20km, algumas montanhas alcançam 24km da altitude e os vales 16km de profundura.

Este penhasco desce sobre mais de 5 km. Imagine que você está no topo e você está olhando para o fundo do penhasco… Miranda é uma espécie de arte espacial? (como os anéis de Saturno?)

Olhe para Miranda

Você tem um terreno direito muito liso, outra coisa no meio e ainda outra coisa a esquerda! Então a boa pergunta, Miranda é o que ela é hoje? Agora, se você é um evolucionista, tente responder sobre como o terreno acima se formou. Quero dizer, como você pode ter esse tipo de terra?! Olha para isto mais uma vez. E olhe como as linhas são afiadas, e as diferenças de cores…

Piedade para o pobre evolucionista que deve explicar que Miranda se formou por ela mesmo.
-“Ninguém previu nada como Miranda”
– “O problema central que temos reside em restaurar a história térmica dos satélites Uranianos e é principalmente por causa de Miranda”
-Quem quer adivinhar a resposta para o problema de Miranda?

O Herói mais uma queda de de asteroide.

Sim! Um asteroide!

De acordo com um texto da wikipedia sobre a evolução do terreno de Miranda,

Acredita-se que esta atividade viria das forças de maré de Urano, mas outra teoria sugere que Miranda pode ter sido atingido por um objeto maciço que teria parcialmente quebrado a lua, que se seria então reconstituído a si mesmo.

– Os cientistas acreditam que Miranda foi bombardeada mais ou menos 5 vezes durante a sua evolução. E vamos evitar os detalhes… Como você pode obter Miranda com 5 asteroides, tente reproduzi-lo. Va para ao Google images ou Live.com images, olhe para as fotos da superfície de Miranda, e tente reproduzir, como os cientistas, estes 5 acidentes de asteroides para ver se você tropeça em algo que se pareça com Miranda, a resposta é que, mesmo com 5 Asteroides, não conseguimos Miranda.

Então, basicamente, para os cientistas foi preciso destruí-lo e reconstrui-lo 5 vezes diferentes para obter a explicação final…

O que não nos dizem sobre Urano

– Rotações enviesadas refutam a teoria da evolução
– O campo magnético (contrabalançado, e não no eixo de rotação do planeta) refuta a teoria da evolução
-Deve liberar energia, mas não o faz
– Miranda é um mistério completo

Leia mais sobre, a teoria da evolução do sistema solar-parte 5. Neptuno, Plutão/Caronte, e os cometas!