Herança Digital

Print Friendly, PDF & Email

Passamos hoje por mais uma das transições sociais que vem mudando a sociedade ao longo dos tempos. Para entender esse processo, é preciso compreender as mudanças da própria sociedade, no seu modo de pensar, se relacionar e se comunicar, bem como a evolução dos dispositivos que provocaram parte dessas mudanças.

Em 2934 o advogado belga e bibliotecário Paul Otlet percebeu que os fios e ondas de rádio ligando o mundo poderiam ser usados para mais do que apenas entretenimento. Ele sonhava com um “cérebro mecânico, coletivo” e desenvolveu ideias cuja aplicação vemos hoje em infraestruturas como a web semântica e navegadores. Otlet é considerado como o pai da ciência da informação e seu pensamento precoce sobre a informação é visto um pré-cursor para o computador moderno e seu acesso à Internet. Otlet morreu em 1944, pobre e desiludido, mas seu trabalho está agora a ser estudado como uma luz totalmente nova.

O meu primeiro Site

O meu primeiro Site que construí de raiz nos anos 90 do século passado, escrito em HTML, alojado nos servidores de Caramail, que depois integrou a Lycos após ter sido comprada por esta ultima. hoje apenas subsistem alguns vestígios de páginas capturadas pela, Internet archive.org, aqui em relação ao meu Site após a fusão de Caramail /Lycos, em 1999 já só podia contemplar a minha Obra, tinha perdido todos os acessos porque os espaços de alojamento nos servidores foram , deslocados para novos servidores, apagados esmagados, pela própria tecnologia que os tinha posto a minha disposição. Com a chegada da Google em 1998 e a sua formula revolucionária na altura, agora com novos cálculos cada vez mais complexos, de pertinência e de indexação nas suas primeiras páginas, os sites criados em HTML, passaram a ficar obsoletos dando lugar ao PHP. Hoje existem Packs CMS completos prontos a instalar, como WordPress pré-instalado e configurado para o Webmaster. Para resumir a minha experiência da pré-história da Web como editor, hoje já nem me lembro do nome desse site apenas guardei algumas fotos de pouca resolução para não consumir muitos Bytes os primeiros modems eram em 56k e tinha um contador configurado a 3 minutos por vezes passava 5 mn ligado e era já uma despesa considerável não prevista, um pouco como o Minitel (para quem conheceu).

A probabilidade de uma expectativa de vida

A probabilidade de uma expectativa de vida de acordo com o tempo decorrido é calculada por meio da lei exponencial. Qual é a probabilidade de eu viver até aos 100 anos? será que a resposta pode ser calculada? pois depende de muitos fatores. assim de mesmo para um blogue ou um site, e se a Google decidir que todos os bloggers grátis terão de pagar para continuar a editar o seu Blog? Essa probabilidade tem de ser tida em conta, se eu morrer quem se vai ocupar das despesas? de atualizar ou de restaurar após um crash informático, devido a piratas, Hackers ou um simples incidente nos servidores? atualizações já não compatíveis? A distribuição exponencial 1 depende somente da suposição de que o evento ocorra seguindo o processo de Poisson.

Para aprofundar o assunto, um site da Internet tem uma probabilidade de 1/3 desaparecer após os próximos 365 dias decorrido.  E se no final de um ano o site ainda existe, ele ainda tem a sorte de 1/3 para desaparecer após o fim dos próximos 365 dias.

Num contexto completamente diferente, um romance de Frédéric Beigbeder, cujo título homónimo afirma com realismo que “o amor dura três anos.”
Aqui também, o amor tem uma probabilidade de um para três de risco de extinção um ano depois, e igualmente no ano seguinte. Como com os sites de Internet, cujo tempo de vida médio também é de 3 anos, este é o mesmo cálculo de probabilidade.

A longevidade máxima de um grupo de N de Web-sites é uma função logarítmica. Num grupo de 100 sites de Internet, o último site desaparece após quinze anos.
Um grupo de 1 milhão web-sites vai ver o seu último site desaparecer depois de cerca de meio século. No mundo, existem atualmente 500 milhões sites de Internet conectados simultaneamente. Em que se tornará a Web atualmente conectada?
Os 500 milhões de locais atuais desaparecerão até ao último após um período de aproximadamente 65 anos. Isso mostra que a teia do futuro não se parecerá
com a teia do presente. Os sites eventualmente desaparecem, entretanto substituídos por outros sites. A Web não está morrendo, ele está constantemente a renovar-se.

Uma das soluções para eternizar documentos nos mais, variados formatos é depositar as sua obras na Internet Archive, após se tornar membro pode depositar descarregar obras de outros ficando acessíveis durante anos e anos; eternamente? depende do sentido de se dá a esse termo para uma criança de 10 anos, 40 anos é uma eternidade.
Por exemplo, se eu procuro a obra integral de Memorias para a historia ecclesiastica do Arcebispado de Braga, primaz das Hispanhas, nas livrarias talvez não esteja disponível, na web posso encontrar algumas linha escritas sobre o livro veja aqui.
Outro exemplo: As donatarias d’Alemquer; história das rainhas de Portugal e da sua casa e estado. Com uma carta-pref. por Oliveira Martins.

Em média, qual é o tempo de vida de um site?

Nada é eterno. Por exemplo, o tempo de vida médio de um site é de 3 anos. Por diversas razões alguns sites desaparecem definitivamente apenas após um ano. Outros sites, bastante conhecidos, são perenes no tempo (no estado de tecnologia atual), como por exemplo The Big Internet Museum symbolics.com: registado em 15 de Março de 1985, o Google, que está em seu décimo oitavo ano de existência.

O que acontece com os nossos dados pessoais online depois de morrermos?

 Nada na lei prevê que suas contas digitais sejam fechadas quando você morrer. Na ausência de um pedido dos seus herdeiros, suas diferentes contas
continuarão de existir porque é difícil para um gerente de site distinguir entre um perfil inativo por um longo tempo sem motivo específico e um  perfil inativo após uma morte.

A morte de um familiar é sempre um momento dramático. Aliado à dor da perda, há sempre a burocracia da organização do funeral, bem como as partilhas e as heranças. Cada grande plataforma e/ou rede social, como Google, Apple, Facebook, Instagram, Twitter e WhatsApp, etc… tem as suas próprias políticas para lidar com a morte de um usuário. De modo geral, porém, elas levam ao mesmo ponto: é preciso que a empresa seja informada do falecimento daquele usuário para que os respetivos protocolos indicados nos termos de uso e política de privacidade sejam colocados em prática.
Segundo a advogada de direito digital Gisele Truzzi, não há nada previsto para essa situação na lei nº 12.965, conhecida como Marco Civil da Internet.
“Mas aplicamos por analogia todos os outros conceitos jurídicos e dispositivos legais, tais como a Constituição, nos artigos 1º e 5º, o Código Civil, e a Lei de Direitos Autorais, que aborda obra póstuma e sucessão de direitos em caso de falecimento do autor”.

Os meus herdeiros podem aceder aos meus dados online?

Em princípio, um perfil do Facebook ou uma conta de e-mail são estritamente pessoais e estão sujeitos ao sigilo das correspondências. Os direitos de acesso, modificação e exclusão de uma conta não são transferíveis para os herdeiros. Eles os herdeiros não podem, portanto, exigir obter as suas senhas para fechar suas próprias contas, mesmo que esteja escrita e que seja a sua vontade: “os editores de sites, muitas vezes americanos, teriam muitos problemas para analisar esse testamento e fazer com que os herdeiros tenham efetivamente acesso à (s) sua (s) conta (s).
Por outro lado, a lei de computadores e liberdades prevê que os herdeiros que justifiquem a sua identidade, e a morte do proprietário da conta, podem pedir à pessoa responsável por um site para atualizar os dados do falecido. As principais plataformas, portanto, organizaram:
Caixas de E-mail, Facebook perfil ou Twitter…

No Facebook

Uma página é usada para solicitar a exclusão de uma conta de uma pessoa falecida, atestando a sua relação e morte. Também é possível transformá-lo num “Memorial” Para transformar uma conta em memorial, siga estes passos do Facebook.
Transformar a conta em memorial.
As contas memorial são lugares onde a família e os amigos podem reunir-se e partilhar memórias depois do falecimento de uma pessoa. A transformação de uma conta em memorial também ajuda a protegê-la ao impedir que alguém inicie sessão na mesma.
Resposta do Facebook nas páginas de Ajuda: Tem em atenção de que não podemos fornecer informações de acesso da conta de outra pessoa, mesmo sob estas circunstâncias. Iniciar sessão na conta de outra pessoa vai sempre contra as políticas do Facebook.
Para denunciar um perfil que será colocado em estado de memorial, entra em contacto connosco, para permitir que a família e amigos se conectem através da postagem de mensagens.
Novo: desde 2015, o Facebook permite que você designe uma pessoa responsável para gerir sua conta após a sua morte. Para fazer isso, vá para configurações de conta-> segurança-> contacto Legal. Você também pode verificar o “Excluir conta após a morte ” na caixa de seleção.

No Instagram

Como o Instagram é do Facebook, a política e os procedimentos são praticamente os mesmos. Você pode notificar que a conta é de uma pessoa falecida ou solicitar para transformá-la em memorial.

No WhatsApp

Neste caso é diferente, pois trata-se de um aplicativo de mensagens privadas protegidas por criptografia. Como o WhatsApp diz não armazenar nenhum conteúdo compartilhado dos usuários —sejam mensagens, áudios, fotos ou vídeos— a família só consegue recuperar esse conteúdo se tiver o número do celular e a senha (ou se a conta não estiver protegida por senha). A melhor maneira de desativar uma conta é entrar no aparelho do usuário e clicar em “Apagar Minha Conta”, nas configurações. A empresa também diz que contas inativas há muito tempo são desativadas pelo aplicativo depois de alguns meses (a empresa não especificou quantos).

Apple No iCloud

Para o iCloud, o serviço de armazenamento de dados em nuvem da Apple, os termos lêem-se: “a menos que seja exigido por lei, concorda que a sua conta não é transferível e que quaisquer direitos sobre o seu Apple ID ou conteúdo dentro da sua conta terminam com a sua morte. Após a receção de uma cópia de uma certidão de óbito, a sua conta pode ser encerrada e todo o conteúdo dentro dela será eliminado.”

Em 2012, circulou um boato de que o ator Bruce Willis processaria a Apple para conseguir o direito de deixar sua coleção de músicas digitais para as filhas quando morrer. No entanto, a história foi desmentida por sua mulher no Twitter. Nos termos adotados pelos serviços da Apple, incluindo compras de apps e de conteúdo na loja virtual iTunes, está escrito que “você concorda em não modificar, alugar, locar, emprestar, vender, ou distribuir os serviços ou conteúdo de qualquer forma, e não explorará os serviços de qualquer forma não expressamente autorizada”.
Em resumo, tudo que você comprou na Apple é só seu e apenas seu, não podendo ser transferível após sua morte.

No Twitter

Para desativar a conta de um ente falecido, você pode preencher um formulário online. Uma vez que este formulário é enviado, o Twitter indica que irá contatá-lo novamente com os seguintes procedimentos: Depois de receber a solicitação, o Twitter enviará um e-mail com instruções e pedindo mais detalhes, incluindo dados sobre a pessoa falecida, uma cópia de sua identidade e uma cópia da certidão de óbito, para evitar denúncias falsas ou não autorizadas. A empresa afirma não fornecer informações de acesso à conta a ninguém, independentemente do grau de relacionamento com o falecido.
O Twitter removerá as imagens de pessoas falecidas em determinadas circunstâncias, em “respeito” ao desejo dos entes próximos. Familiares imediatos e outras pessoas autorizadas podem solicitar a remoção de imagens ou vídeos de pessoas falecidas, desde a ocasião em que ocorre uma lesão grave até os momentos antes ou depois do falecimento, enviando uma solicitação com o formulário de privacidade do Twitter. Contas inativas poderão ser permanentemente removidas por motivo de inatividade prolongada. Para manter uma conta ativa, o usuário deve-se certificar de entrar e twitar a cada seis meses.

No Yahoo

Para fechar uma caixa de e-mail e excluir o conteúdo, os herdeiros devem enviar para o Yahoo (Yahoo! EMEA Limited, departamento jurídico,
5-7 Point Village, North Wall Quay, Dublin 1, Irlanda) uma carta assinada especificando o seu pedido, com o identificador do Yahoo Falecido, bem como uma cópia do atestado de óbito.
Se você quiser evitar essas formalidades, esteja ciente de que após um ano de inatividade, uma conta do Yahoo é excluída automaticamente.

No Outlook

Após a verificação, o conteúdo da conta do falecido pode ser devolvido em suporte DVD (incluindo todos os emails com anexos, catálogo de endereços e listas de contactos) para seus parentes próximos ou conta.

No Gmail

UMA página permite o encerramento da conta do falecido. Após uma revisão minuciosa, a Google pode excluir uma conta ou retornar conteúdo se um ente querido o solicitar. UMA cópia do atestado de óbito também será exigida antes de qualquer aplicação ser levada em conta.

No LinkedIn

Após a sua morte, você – provavelmente – não vai mais procurar emprego, como é óbvio. Afinal, sua vida profissional já era. Portanto, é possível que alguém queira apagar o seu perfil no LinkedIn, o processo é simples. Você deve acessar o formulário indicado neste link e enviar algumas informações básicas, incluindo o documento de óbito. O processo será verificado e caso tudo estiver bem, eles entram em contacto com o solicitante e apagam o perfil na rede social.

Como antecipar a proteção da sua vida digital?

A Google configurou um Gerênciador de contas inativo. Se você tiver um endereço no Gmail, você pode decidir hoje que sua conta será excluída após um tempo ocioso da sua escolha (por defeito está configurada para 3 meses), a configuração máxima é de 18 meses.
UMA maneira de manter sua mão, evitando que seus herdeiros tenham de lidar com isso quando você morrer. Além disso, contas que não forem usadas por nove meses ou mais ficarão inativas.

 Como a Google deteta a atividade?

Observando diversos sinais para saber se você ainda está usando a sua Conta do Google. Dentre eles estão seus últimos logins, sua atividade recente na página “Minha atividade”, o uso do Gmail (por exemplo, o app Gmail no seu smartphone) e check-ins no Android.

 O que fazer com todas as minhas outras senhas?

Sabemos que a nossa vida online não está resumida apenas às nossas redes sociais, temos diversos outros serviços e senhas que usamos diariamente. Como dar acesso a todas estas contas de uma forma simples?

A startup Legacy Locker promete guardar as suas senhas, carta de despedida e até um vídeo de testemunho e enviar para uma pessoa escolhida por você após a sua morte.

Está é uma forma eficaz de deixar toda a sua vida digital nas mãos de alguém que você confia, desta forma a pessoa poderá tomar as decisões sobre o que fazer com as suas informações e a sua presença online após a morte.

Esta brincadeira tem um custo, já que o serviço tem três planos. No gratuito você pode adicionar até três contas e enviar esta informação para uma pessoa. No plano pago, são 29,90 dólares por ano para poder incluir quantas contas quiser, enviar para quantas pessoas quiser e incluir um vídeo de despedida. Há a possibilidade de pagar 299,90 USD que garante o serviço para sempre.

Para utilização deste serviço, você precisará cadastrar duas pessoas de confiança que serão usadas para confirmar o seu falecimento. Após a confirmação, os dados, carta e vídeo de despedida serão enviados para as pessoas selecionadas.

E a minha conta Microsoft?

Para aqueles que ainda usam os serviços da Microsoft, como o Hotmail e agora o Windows Phone, a informação encontrada está neste fórum de ajuda da empresa.

O parente precisa recolher alguns documentos padrões como:
Certificado oficial de óbito do usuário;
Documento assinado pelo profissional de saúde ligado a morte do usuário;
Documento que comprove a sua ligação com o falecido;
Uma cópia dos seus documentos de identificação oficiais;

Com estes documentos em mão, você pode enviar por email, fax ou carta para o seguinte endereço:
msrecord@microsoft.com.
Fax: (425) 708-7851.
Next of Kin
One Microsoft Way
Redmond, WA 98052

Assim como nos outros serviços, ninguém poderá ter acesso a senhas e informações pessoais, mas o solicitante poderá pedir um CD que contenha todos os seus emails, fotos e arquivos guardados dentro dos servidores da Microsoft.
Provavelmente estes termos se apliquem também aos seus aplicativos baixados na Microsoft Store, então, assim como na Apple, você não poderá ter acesso ao que foi comprado através do serviço da Microsoft.

Para outras plataformas

Para outras plataformas, a melhor maneira de antecipar a proteção dos seus dados ainda é deixar suas senhas a um herdeiro, de sua escolha, para que ele possa fechar suas contas em caso de necessidade: “se você não quer que eles tenham acesso a qualquer informação confidencial depois da sua morte, faça uma limpeza regular das suas caixas de correio eletrónico. Você também pode criar uma segunda caixa de correio, por exemplo dedicada ao administrativo, e apenas comunicar os acessos dessa conta”. Como podemos ver, cada serviço tem suas especificidades e a tendência é que os serviços criem métodos automáticos de lidar com esses dados, assim como o Google fez ao criar o “Gerenciador de Conta Inativa”. Com centenas de milhões de usuários, estes serviços vão acabar não conseguindo vencer a demanda se tiverem que apagar manualmente todos os usuários falecidos de seus bancos de dados.

Em termos de notícias importantes a característica realmente importante é a atemporalidade, instituída pela internet e pelos mecanismos de busca, cuja praticidade permite a “eternização dos dados”. Com uma simples pesquisa, é possível acessar uma fonte quase inesgotável de dados, desde informações alusivas aos primórdios da internet até notícias extremamente atuais. Uma vez lançados na internet, jamais serão esquecidos, visto que podem ser acessados a qualquer momento. Nem erros, nem acertos são relevados. É como se a rede mundial de computadores impedisse o esquecimento, funcionando como uma espécie de memória auxiliar, sempre à disposição para reparar eventuais falhas. Antes da internet assumir um papel importantíssimo entre os meios de comunicação, a memória social era extremamente frágil, se comparada à existente atualmente. Ninguém era obrigado a conviver eternamente com as próprias mancadas, porque desapareciam naturalmente da memória coletiva. Ao contrário do que se vê no mundo virtual, onde o estigma permanece vivo e acessível. Em vez de esquecido, o autor é novamente condenado pelas falhas cometidas, devido ao acesso recorrente ao dado comprometedor. Para evoluir como sociedade, é preciso esquecer certas falhas, coisa que a internet nega ao relembrar frequentemente fatos pretéritos, embaraçando a reconstrução da vida do envolvido. Já se não tiver nenhum escândalo envolvido nas suas buscas, terá certamente a desagradável surpresa de encontrar somente fragmentos de alguns temas ou obras.

 

close
Mantemos os seus dados privados mas não compartilhamos os seus dados com terceiros.

Leia a nossa política de privacidade.
A GDPR amigável.

Notas e Referências

  1. A distribuição exponencial é um tipo de distribuição contínua de probabilidade, representada por um parâmetro λ. O processo de Poisson, no contexto da probabilidade e da estatística, é um tipo de objeto matemático que lida com a aleatoriedade e que consiste numa série de pontos dispostos no espaço matemático.