Nefilins, Elohim e Anunnaki

Nefilins são criaturas de crenças judaico-cristãs. Eles são mais frequentemente apresentados como gigantes, descendentes híbridos de anjos caídos, tendo vivido na terra nos tempos antigos. Os Nefilins são apenas brevemente mencionados nas Bíblias cristãs e hebraicas. O mito é desenvolvido principalmente em textos apócrifos ou comentários religiosos. Baseando se na bíblia, Nefilins são descendentes dos “filhos de Deus” com as “filhas dos homens” e foi no século V que começou a interpretação dos “filhos de Deus” em Génesis 6 como “Anjos”.

Continuar a ler “Nefilins, Elohim e Anunnaki”

Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte3

O seguinte texto é para fins informativos e para entretenimento. Não reflete a opinião da Redação. Em dois artigos anteriores, Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte1 e Parte2 eu tinha listado as principais hierarquias infernais dos principais demonólogos. Neste artigo, proponho continuar com a hierarquia infernal elaborada a partir de várias buscas. Os anjos rebeldes são os anjos que se revoltaram contra Deus. Eles são nomeados e incontáveis nos livros de Enoque e os Jubileus. Entre esses anjos rebeldes, 72 são agrupados em nove legiões ou ordens e são chamados de “anjos dos abismos”. Eles representam o lado escuro dos 72 Anjos Guardiões ou os génios da Cabala ou Kabbalah.

Continuar a ler “Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte3”

Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte1

No inferno há uma hierarquia Demoníaca, Reis, príncipes, duques…, assim títulos e qualidades. Nem todos os demónios estão alojados no mesmo signo. O problema é que existem tantas classificações como demonólogos. Neste artigo, eu livro-lhe os mais conhecidos. Em todos os momentos, os homens, e especialmente os demonólogos, tentaram criar uma hierarquia Demoníaca.

Continuar a ler “Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte1”

Nós somos os descendentes de alienígenas

Jean Sendy, o famoso e altamente respeitado ufologista francês, parecia ter encontrado uma pista bastante interessante…

Qual o achado dele?

Uma simples medida do tempo usado na antiguidade, especialmente pelos hebreus e seu calendário, chamado Helek. Helek significa textualmente “parte” e se escreve: Halakim no plural. Também pode significar “volume” para um livro, como é o caso do Zohar dividido em Helek. O Helek é uma unidade de tempo que corresponde ao milésimo de 1/1080 de uma hora. Este, citado no livro sagrado do judaísmo, o Torá, detém sua estranheza em sua precisão incompreensível. Na passagem onde é evocada, o dia é dividido (como nós) em 24 horas, a cada hora em 1080 Regalim “instantes” (rega no singular) e cada rega em 76 Helek (segundos).

Continuar a ler “Nós somos os descendentes de alienígenas”