Irão libertou 85.000 prisioneiros por causa do coronavírus

Irão libertou 85.000 prisioneiros por causa do coronavírus. O Governo iraniano decidiu libertar temporariamente 85.000 prisioneiros, incluindo presos políticos, das suas prisões e centros de detenção para combater a propagação da pandemia do coronavírus. O Irão é um dos países mais atingidos pelo vírus, uma vez que a pandemia global continua a piorar, noticia a agência de notícias Reuters.

No momento da escrita, o Irão tem cerca de 16.169 casos confirmados, estimando-se atualmente 988 mortes. “Até agora, cerca de 85.000 prisioneiros foram libertados … Também nas prisões, tomámos medidas cautelares para lidar com a epidemia”, disse o porta-voz da justiça iraniana, Gholamhossein Esmaili.

“Sim, cerca de 50% deles eram prisioneiros relacionados com a segurança”, acrescentou.

Entre os prisioneiros libertados estavam principalmente aqueles com penas relativamente pequenas, embora alguns ativistas de “direitos” afirmam que o governo iraniano libertou uma dúzia de pequenos presos políticos durante a semana passada. No entanto, dizem que os presos políticos mais infames permaneceram na prisão.

As prisões iranianas, que excedem a sua capacidade máxima, estariam repletas de doenças e doenças. A libertação de dezenas de milhares de prisioneiros é um ato desesperado para conter o vírus nas prisões.

Gholamhossein Esmaili não disse quando os prisioneiros devem voltar.

Fonte: Voz da Europa, 17 de março de 2020 – Tradução por Mistérios da Mente Humana.