Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte2

Num artigo anterior, Hierarquia dos príncipes do Inferno – Parte1 eu tinha listado as principais hierarquias infernais dos principais demonólogos. Neste artigo, proponho dar-lhe uma hierarquia infernal elaborada a partir de várias buscas. Há muitas semelhanças com as de Collin de Plancy e Jean Wierus.

O líder supremo do Império infernal

Portal

Aquele que reina sobre o submundo é, sem dúvida, Satanás (ou Lúcifer, porque os dois personagens são uma única entidade) e não Belzebu como Wierus menciona. Ele tem com ele, generais, príncipes, Duques… Que foram depostos e expulsos do paraíso, assim como ele, incluindo Mephistopheles ou Mefistófeles. A maioria dos príncipes quer tomar o trono, então o lugar de Satanás. O mais virulento para este jogo é, sem dúvida, Belzebu. Cada Príncipe reina sobre parte do Reino infernal e tem seu exército demoníaco ao seu comando.

Satanás

Segundo alguns feiticeiros e demonólogos, seguindo o “golpe de estado” liderado por Belzebu, a corte infernal foi remodelada. Baalzebub criou sua própria ordem, a ordem da mosca e redistribui os títulos e privilégios. Satanás estaria em oposição, como dizemos hoje, quando um partido político se opõe ao governo. Satanás, assim, se tornaria o adversário (é a sua etimologia!) de uma nova hierarquia. Esta nova composição, contra todas as probabilidades, permitiria aos satanistas exorcizar e Desencantar em nome de Satanás ou Lúcifer. O que é uma aberração! É por isso que a ideia deste “golpe de poder” é apenas uma invenção Demoníaca pura para nos fazer crer que podemos invocar Satanás para nos desencantar ou exorcizar. Não se pode caçar um mal com outro mal. Multiplica o mal e não o divide. É por isso que eu acho que Baalzebub não é o mestre do Império infernal, e que Satanás sempre reina com punho e força. Quando Satanás se torna Lúcifer novamente, ele assume seu papel de grande justiceiro dos infernos.

Os Reis do inferno

A maioria dos Reis listados abaixo vêm de diferentes crenças, incluindo as de Wierus que, em sua hierarquia, representa pelo menos 7 Reis. Eu vou alista-los, mas não concordo com ele, pois para mim pode haver apenas um rei do Império infernal e este rei é Satanás.

    • O Triunfo do Génio da Destruição (1878), de Mihály Zichy.

      Amoymon ou Amaymon: Rei do inferno.

    • Bael. Ele tem seus Estados na parte oriental do submundo. Ele comanda 70 legiões. por vezes é confundido com Baal.
    • Balam: terrível grande rei do submundo. é da ordem de dominações e comanda 40 legiões.
    • Byleth, Beleth, e também pronunciado, Bilet e Bileth : Rei do Império infernal da ordem dos poderes. poderoso e terrível Rei do Inferno, que tem oitenta e cinco legiões de demónios sob seu comando.
    • Ceridwen: Na mitologia celta feiticeira, rainha do Ocidente e bruxas.
    • Cali ou Kali: Rainha dos demónios e sultão do inferno indiano na India e Nepal Kali não é uma deusa do mal, pois, na verdade, o seu papel de ceifeira de vidas é absolutamente indispensável para a manutenção do mundo. Os devotos são, supostamente, recompensados com poderes paranormais e com uma morte sem sofrimentos. É, também, uma das formas da deusa Parvati, esposa de Shiva. É coberta de cobras no seu corpo em vez de roupas, e tem um colar com crânios sua pele é de cor negra.
    • Gaap

      Erlil-Khan: rei ou por vezes príncipe do submundo.

    • Gaap ou Goap: rei dos demónios do Sul do inferno e da Terra, poderoso Príncipe e Grande Presidente do inferno comandando sessenta e seis legiões de demónios.
    • Gorson ou Corson: é um dos quatro principais reis que têm poder sobre os 72 demónios supostamente constrangidos pelo rei Salomão, rei da parte ocidental do submundo.
    • Magoa: rei da parte oriental do submundo.
    • Paymon ou Paimon: um dos reis do inferno muito obediente a Lúcifer, da ordem dos anjos e da ordem dos poderes, ele tem duzentos (cem para outros autores) legiões de demónios sob o seu comando. Ele tem uma grande voz e ruge assim que chega.
Paimon
  • Zapan ou Zagam:Grande Rei e Presidente do inferno, comandando mais de trinta e três legiões de demónios. Ele faz do homem espirituoso, ele também pode transformar vinho em água, a água em vinho, e o sangue em vinho transforma o sangue em azeite, o óleo, em sangue, e um homem tolo num sábio). Outras das suas qualidades, é o de transformar metais em moedas que são feitas com esse metal (ou seja, ouro em uma moeda de ouro, o cobre em uma moeda de cobre, etc.) Zagan é retratado como um grifo-de-asa frontal que se transforma em um homem depois de um tempo. Outros autores retratam-no como um homem com cabeça de touro com as asas de um grifo.

Os príncipes do submundo

Os sete príncipes do submundo são Mammon, Azazel, Baalzebub, Asmodeus, Belphegor, Dispater e Mephistopheles. Outros demonólogos ou crenças acreditam que existem 9 príncipes, outros ainda falam de 7 demónios para os 7 pecados mortais. As origens de alguns demónios parecem erradas, alguns tomam vários nomes, outros são levantados para fileiras mais altas, outros já não aparecem. Pela minha parte, eu contentei-me de recolher os dados mais populares e aqueles que me parecem ser os mais justos e mais prováveis.

A saber: os príncipes, no Império infernal, são mais poderosos e têm mais poder do que reis. Além disso, alguns reis nomeados acima não são reconhecidos por alguns demonólogos como tal.

  • Mamon

    Mammon ou Mamon: Príncipe do inferno e demónio da ganância. Este demónio obedece apenas a Satanás. Termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade. A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica “Mamom” (מָמוֹן), que significa literalmente “dinheiro”. Como ser, Mamon representa o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também o Anticristo, devorador de almas, e um dos sete príncipes do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada a um nobre de aparência deformada, que carrega um grande saco de moedas de ouro, e “suborna” os humanos para obter suas almas. Em outros casos é visto com uma espécie de pássaro negro (semelhante ao abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar as almas humanas que comprara.

  • Azazel

    Azazel: Príncipe do Império infernal, guardião dos bodes, primeiro estandarte dos exércitos infernal também é o nome atribuído a um anjo, que seria encarregado da tarefa de levantar as faltas humanas e as enumerar perante o Tribunal Divino, durante o julgamento anual da humanidade. É, por outro lado, uma figura misteriosa, que aparece por três vezes na Bíblia Hebraica, relacionado expressamente com o ritual do Yom Kipur, quando, na época do Templo de Jerusalém, um bode era sacrificado para o Criador e outro era destinado a Azazel, sendo este último animal encaminhado para morrer no deserto levando consigo os pecados do povo. Azazel também é comummente conhecido como o responsável pelo pecado da Ira entre os Sete Príncipes do Inferno (que correspondem os sete pecados).

  • Belzebu

    Baalzebub ou Belzebu: Príncipe do inferno, fundador da ordem das moscas. Ele é o primeiro no poder e em crimes depois de Satanás. Ele quer o lugar dele e nunca deixa que ele saiba. Demónio do pecado da gula. Baalzebub é uma entidade amalgamada de outras duas poderosas entidades conhecidas das mitologias cananeia e fenícia: Segundo a mitologia, Zebub era um infernunita arqui-inimigo de Baal. Este, junto com grandes magos da antiguidade, derrotou Zebub numa batalha épica que, por ter expandido suas forças no cosmos, abriu um abismo que sugou os dois deuses e os uniu em um só, o então “belth-zebul”. Seu espírito foi arremessado ao inferno e lá perdurou na “fossa”, até ser resgatado por Satã. Seu poder excedia o poder de Zebub e o do próprio Baal. Proclamou-se senhor da cidade de Dite, antes governada por Orcus. Zebub, o Deus das moscas e da pestilência. Baal ou Bael, senhor dos trovões, agricultura e fertilidade. Também associado à morte e crueldade. é descrito como o “Príncipe dos Demônios, Senhor das Moscas e da Pestilência, Mestre da Ordem”. Belzebu é conhecido principalmente como O Quarto, por ser o quarto demónio mais poderoso do inferno, curvando-se somente perante Lúcifer, Satã e Belfegor. Ele é o irmão mais velho de Lúcifer, descendente da geração de Behemoth, pai de Belial, um dos maiores demónios do inferno.

  • Asmodeus

    Asmodeus, Asmodaios, Asmodaeus ou Asmodäus: Príncipe do Império infernal, demónio da luxúria, Superintendente de casas de jogo. Ele comanda 72 legiões. Tenente de Amoymon. É considerado um dos sete anjos do inferno abaixo somente de Lúcifer (imperador do inferno) (que se alimenta e se fortalece da avareza). É o demónio representante do pecado da Luxúria. Sua origem difere muito conforme a fonte, alguns consideram-no como um anjo caído, porém alguns escritos judaicos indicam Asmodeus como o “Rei Esquecido de Sodoma”, nesse conto Asmodeus é visto como o homem mais impuro já nascido, e aquele que guiou Sodoma à luxúria. Segundo seitas satânicas, a letra inicial de seu nome é parte integrante do acrónimo Baal, nome do deus pagão citado tanto nas escrituras sagradas do Torá (judaísmo) quanto na Bíblia (cristianismo), que se traduz nos nomes dos demônios Baalzebub, Astarot, Asmodeus e Leviatã. Por se tratar de um humano que virou demónio e não um anjo caído, Asmodeus possui o livre arbítrio, negado aos anjos, sendo considerado a Arma de Lúcifer para derrotar o Messias.

  • Belphegor

    Belphegor: Príncipe do inferno, demónio da preguiça, descobertas e invenções. divindade moabita venerada no monte Fegor. Demónio da preguiça, das descobertas, do apodrecimento, dos inventos e do ciclo. Era cultivado na antiga Palestina na forma de uma figura alta e barbuda com a boca aberta, tendo por língua um gigantesco falo. O Sabá dos feiticeiros da Idade Média não foram senão uma repetição, herança das festas de Belfegor. Belphegor é um dos sete príncipes que governam o Inferno, sendo a personificação do primeiro pecado, a preguiça. Sua aparência modifica-se de acordo com a citação, desde um ser bestial (semelhante a um lobo) ,um monstro marinho com a boca rasgada de orelha a orelha e dentes afiadíssimos, até um velho alto, barbudo, possuindo uma língua com forma de falo, dentes caninos grandes e uma cauda de dragão, ou até mesmo em algumas tradições religiosas, é retratado como sendo uma jovem de beleza exuberante. Quando Lúcifer inicia sua rebelião contra o Criador, todos as hordas de anjos aliados ao Senhor pegam em armas para enfrentar as forças rebeldes, porém um dos anjos mais poderosos do paraíso se recusa à participar daquela batalha, seu nome era Bastiel. Bastiel, abandona o sétimo céu e segue as “terras posteriores” onde o combate ainda não tinha atingido. Porém quando a guerra acaba, e as forças celestiais encontram Bastiel, ele é considerado desertor e enviado ao Inferno. Após ser enviado ao Inferno, Bastiel é hostilizados pelas hostes infernais, porém Lúcifer, o Imperador do Inferno, acaba por firmar uma aliança com Bastiel, nomeando o Belphegor. Molloch, príncipe que reinava sobre o primeiro círculo do inferno (Desidia Circum Primus) se recusa a aceitar a presença de Belphegor trai-o . Porém Belphegor, era um Arcanjo, e seus super poderes relativamente superiores aos de Molloch, um simplório querubim. Após humilhado, Molloch é expulso de Desidia Circum, e Belphegor condecorado o Príncipe da Preguiça e Rei do Primeiro Círculo.

  • Belial

    Belial também conhecido como Belhor, Baalial, Beliar, Beliall, Belu, Beliel: Príncipe do inferno, demónio da ira. é um demónio presente na mitologia cananita, que o determinava como o adversário do povo “escolhido”. É o 68º espírito listado na Goetia. No Cristianismo, Belial é mencionado também no Novo Testamento como o oposto da luz, do bem e de Jesus Cristo. Seria o mais importante demónio na Terra, que comandava as forças da escuridão contra os homens de bom coração. Criado junto com Lúcifer, de Belial foi dito ser um rei do inferno e comandante de 80 legiões. Rei-Comandante de Sheol (parte das regiões infernais). Na demonologia cristã, é reconhecido como um antigo Anjo da Virtude, que após a queda junto com Lúcifer, foi transformado no demónio da arrogância e da loucura, ocupava o posto que agora pertence a Arcanjo São Miguel. Também é responsável pela luxúria, e foi por sua causa que as cidades de Sodoma e Gomorra caíram em tentação. Ele aparece na forma de dois anjos sentados em uma carruagem de fogo. Filhos de Belial eram os componentes de um grupo religioso na Atlântida, eram opostos aos Filhos da Lei Única. Compostos por magos negros e seus adeptos, os Filhos de Belial eram os responsáveis pela criação de monstros que tinham a função de escravidão na sociedade, eram materialistas e aos poucos perverteram a religião e criaram diversos rituais e sacrifícios. 

  • Mephistopheles ou Mefistófeles: Tenente, mão direita de Satanás, Ministro da cultura. Mefistófeles é uma personagem satânica da Idade Média, conhecida como uma das encarnações do mal, aliado de Lúcifer e Lucius na captura de almas inocentes através da sedução e encanto através de roubos de corpos humanos atraentes. Mas é um dos demónios mais cruéis e em muitas culturas também se toma como sinónimo do próprio Diabo.

Vamos acrescentar a esta lista o demónio Ariton, o sub príncipe do Império infernal.

  • Ariton

    Ariton, Egin ou Egym: O nome deste demónio provavelmente origina-se da palavra grega Arhreton, que Samuel Mathers definiu como “secreto” ou “misterioso”. Em Hebraico, seu nome significa “atraso” ou “dificultar”. No grimório a magia sagrada de Abramelin, Ariton é listado como um dos oito sub-príncipes do Império infernal. Também é nomeado como um dos quatro demónios que presidem sobre direcções cardinais. Suas funções são descobrir os tesouros escondidos, para desmascarar os ladrões, para restaurar os objectos roubados, para confundir os mentirosos, os dissimuladores, os ladrões e os bandidos. Sob seu nome Egym, ele supervisiona o norte. De acordo com Samuel Mathers e Agrippa, o equivalente a Ariton no conhecimento judeu é o demónio Azael. Ariton pode fazer com que suas vítimas tenham visões sobre seu passado. Ele também pode evocar espíritos e tomar qualquer forma. Além disso, Ariton tem o poder de fazer reviver os mortos. Ariton é um poderoso demónio que tem suas ordens 133 legiões infernais. Quando um feiticeiro o faz aparecer pela primeira vez, Ariton mostra-se no disfarce de um belo anjo de cor escura, carregando uma lanterna na mão. Suas asas excessivas estão implantadas. Mas se o mesmo feiticeiro quer fazê-lo aparecer uma segunda vez, então ele se mostra em uma aparência tão assustadora que o feiticeiro pode morrer.

Pode ver a primeira parte consagrada à Hierarquia dos príncipes do Inferno – Aqui – Parte1